Nos últimos dias, surgiram boatos de que uma versão em live-action do desenho estaria em produção

Recentemente, surgiram na internet boatos de que Caverna do Dragão, desenho que estreou há mais de trinta anos e fez sucesso por décadas, vai ganhar uma versão live-action. Os rumores ainda não foram confirmados, mas um filme da saga poderia responder à grande dúvida que permanece desde o fim abrupto do seriado: o que, afinal, aconteceu com os protagonistas? Eles conseguiram voltar ao seu mundo?

Caverna do Dragão

Inspirado no jogo de RPG Dungeons & Dragons, Caverna do Dragão teve apenas 27 episódios, que contavam a história de um grupo de amigos que, durante um passeio de montanha-russa, vão parar em um universo fantástico, onde lutam contra o vilão Vingador e são aconselhados pelo Mestre dos Magos. O maior objetivo dos jovens, é claro, é retornar ao seu mundo – coisa que nunca aconteceu, uma vez que Requiem, que seria o último episódio, jamais foi produzido.

Relembre algumas das teorias mais populares sobre o possível desfecho de Caverna do Dragão – e até algumas que dão explicações sobre o porquê de o capítulo final nunca ter saído do papel.

Os protagonistas estão mortos

Tão mórbida quanto popular, essa teoria afirma que, no último episódio, o dragão Tiamat revelaria ao grupo de amigos que, na verdade, o carrinho da montanha-russa onde eles estavam despencou, e todos eles morreram. O local onde os jovens se encontravam era, na verdade, o Inferno. E o Vingador e o Mestre dos Magos eram dois disfarces do Diabo, que passava seu tempo enganando os protagonistas para se divertir. Já Tiamat revelaria ser um anjo, enviado ao Inferno para contar a verdade às crianças; mas sempre sendo impedido pelo Diabo. Segundo essa versão, a unicórnio Uni também seria um demônio, fazendo de tudo para esconder a verdade do grupo de amigos.

Caverna do Dragão

Suicídio e processo

Há quem afirme que o seriado foi cancelado depois que a mãe de um jogador de D&D processou a produtora CBS: o motivo do processo seria a morte de seu filho, que teria se matado devido à violência do jogo. Conforme mais jogadores de Dungeons & Dragons foram supostamente se matando, foram chegando mais processos, de pais que acusavam a produtora de divulgar o jogo – e o desenho animado foi encerrado.

Jogo de RPG

Mais leve, essa teoria afirma que o reino fantástico onde as aventuras dos amigos se passam não existe: na verdade, eles são um grupo de jogadores de RPG, imaginando e jogando suas aventuras. O Mestre dos Magos seria o Mestre da mesa de RPG; e personagens como o Vingador e a Uni seriam NPCs, os “personagens não-jogáveis” criados pelo mestre para interagir com os jogadores. No último episódio, os protagonistas encerrariam o jogo e guardariam suas fichas. Também há quem diga que o próprio roteiro de Caverna de Dragão surgiu de um jogo real de RPG, que depois foi roteirizado pelos participantes.

Papéis invertidos

Você já reparou como, muitas vezes, os conselhos do Mestre dos Magos não eram assim tão úteis? O personagem entregava mensagens difíceis de entender, e sumia quando os protagonistas mais precisavam dele. Isso levou muita gente a pensar que, na verdade, o mago era o vilão da história – e Uni, a seu comando, teria a missão permanente de impedir os amigos de voltar para casa. O Vingador, por sua vez, seria um personagem do bem: “matar” os jovens seria, na verdade, a maneira de enviá-los de volta para seu mundo.

Caverna do Dragão

Teste difícil

Já surgiu na internet um roteiro que teoricamente teria sido oficialmente escrito para o episódio final, mas nunca produzido. Nele, o Mestre dos Magos e o Vingador concordariam em criar um teste para os jovens: se eles passassem sem ajuda do Mestre dos Magos, receberiam uma chave que os levaria para casa. No desafio, as crianças são obrigadas a enfrentar uma hidra – e o Mestre dos Magos, conforme combinado, ignora seus pedidos de ajuda. Em certo momento, o Vingador afirma que, se encontrarem a chave escondida e a jogarem em um abismo, os protagonistas estarão livres – mas nem todos acreditam na promessa: quando encontram o objeto, os jovens se dividem em dois grupos; um que quer jogar a chave no tal abismo, e outro que quer usá-la para abrir uma misteriosa câmara.

O segundo grupo vence, e a câmera se abre em um portal luminoso: o Mestre dos Magos explica que as crianças podem atravessá-lo se quiserem, voltando ao seu mundo, ou permanecer onde estão, para viver mais aventuras. E o episódio acaba antes da resposta, deixando o desfecho a cargo da imaginação do público. Comercialmente, a explicação é que os produtores queriam deixar todas as possibilidades abertas – caso quisessem fazer uma segunda temporada, faria muito mais sentido que os personagens ainda estivessem no mundo de fantasia.