Pesquisa com público da América Latina trouxe os momentos mais emblemáticos da série que chega ao fim

Por GaúchaZH

Todo fim mexe com as memórias. Com a estreia da oitava e última temporada de Game of Thrones, marcada para o dia 14 de abril, às 22h, os fãs que acompanharam a saga pelo domínio dos Sete Reinos de Westeros e a conquista do Trono de Ferro puderam eleger as cenas que mais comoveram em sete temporadas.

A lista, divulgada pelo canal HBO, traz seis momentos marcantes escolhidos pelo público da América Latina. Boa parte deles são situações trágicas, característica que marca a produção. A oitava temporada começa a ser exibida no próximo domingo.

Cuidado: há spoilers.

O casamento vermelho (25%)

Nada nunca é fácil para a família Stark. Eleito como o episódio mais memorável, o casamento vermelho do título foi tingido com o sangue do clã de Winterfell. Na sequência mais chocante, o então rei do Norte e pretendente ao Trono de Ferro, Robb Stark (Richard Madden), sua mulher grávida, Talisa Maegyr (Oona Chaplin), e sua mãe, Catelyn Stark (Michelle Fairley), comemoram o mais recente triunfo nos salões de Walder Frey. O anfitriação, entretanto, prepara uma terrível surpresa e todos os convidados são brutalmente assassinados.

A batalha dos bastardos (11%)

Jon Snow (Kit Harington) e Ramsay Bolton (Iwan Rheon) se enfrentam em uma luta para reconquistar o Norte e unificar a região. O confronto inicia quando Ramsay arremessa uma flecha no peito do suposto filho ilegítimo de Ned Stark; depois, ele é espancado por Jon Snow e, no fim, devorado pelos próprios cachorros.

A morte de Ned Stark (9%)

Indispensável na lista, o final da primeira temporada de Game of Thrones deixou claro que nenhum personagem estava a salvo. Figura central na trama, a morte do Mão do Rei e líder do Norte, Ned Stark (Sean Bean), ainda segue vívida na mente dos fãs da saga, assim como a sequência que mostra o momento em que ele é decapitado.

O nascimento dos dragões (5%)

Daenerys (Emilia Clarke) está a um passo da loucura quando finalmente se torna a Mãe de Dragões. Os três ovos petrificados da herdeira dos Targaryen ganham vida em seu momento de maior desespero, após ela decidir permanecer ao lado do marido Khal Drogo enquanto ele, já morto, é cremado. O fogo não a fere e ainda traz a vida aos seus novos filhos.

Daenerys emergindo do fogo (4%)

Na sexta temporada, a personagem volta a mostrar sua força e conquista a alcunha de A Não Queimada. Aprisionada pelos Khals, Daenerys surge nua das cinzas depois de derrubar tochas de fogo e queimar os inimigos – para delírio do povo Dothraki, que a elege governante mais uma vez.

A morte de Joffrey (4%)

Talvez um dos personagens mais odiados da produção, o herdeiro dos Baratheon — mas, na verdade, fruto do relacionamento entre os irmãos Cersei e Jaime Lannister — também tem um final trágico. Apesar de Tyrion levar a culpa, Joffrey (Jack Gleeson) é envenenado por Olenna Tyrell e seus dias de tirano cruel chegam ao fim.

Operadoras vão liberar sinal da HBO para estreia da última temporada

Com a estreia da oitava e última temporada de Game of Thrones, as operadoras vão abrir o sinal da HBO para todos os assinantes, inclusive os que não contrataram o canal. A nova temporada começa no dia 14 de abril.

As operadoras NET, Oi TV, Claro, Vivo TV e Sky divulgaram que vão deixar o sinal da HBO aberto de 12 a 14 de abril para que todos possam acompanhar o primeiro episódio de Game of Thrones, informou a revista Rolling Stone.

A própria HBO chegou a liberar as duas temporadas de graça no seu aplicativo HBO GO, mas o prazo já acaba nesta sexta-feira (12). No entanto, quem assinar o aplicativo agora terá um mês de graça para curtir a série e outras produções do canal.

A nova temporada vai exibir o fim da história sobre a luta pelo controle dos Sete Reinos de Westeros e o Trono de Ferro. O trailer foi divulgado no início do mês.

Atenção! Contém spoiler da sétima temporada:

A cena final do último episódio da sétima temporada mostra os White Walkers derrubando a muralha de gelo. No trailer, os dragões de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke) deixam de ser lenda e são vistos pela maioria dos personagens que ainda não haviam cruzado com eles.
A rainha Cersei (Lena Headey) continua com um sorriso amargo no rosto e com planos de tirar proveito da grande guerra contra os mortos para garantir a permanência no Trono de Ferro.

Enquanto não chega o dia da estreia, a HBO exibe até 30 de junho quatro seleções temáticas de episódios. Final Players reúne os momentos mais marcantes de Cersei, Daenerys e Jon Snow; Dragons Evolution foca os dragões de Daenerys; Best Battles traz as melhores cenas de batalha; e In Memoriam lembra os personagens que já se foram em temporadas passadas, como Ned Stark ou Khal Drogo.

Autor dos livros vai descobrir final da série na televisão

Game of Thrones, a saga imaginada há mais de 20 anos pelo escritor americano George R.R. Martin, está prestes a terminar. Mas, fato inédito na história da literatura, o autor descobrirá na televisão o final de sua história antes de tê-la escrito em seus livros.

— Claro que eu teria gostado de terminar esses livros antes para que a série não se adiantasse. Eu não previ isso — lamentou George R.R. Martin em entrevista à revista Entertainment Weekly.

No início da exibição da adaptação televisiva, em 2011, o autor tinha publicado apenas quatro dos sete romances que compõem a série Game of Thrones (As Crônicas de Gelo e Fogo, em sua versão original). O quinto volume saiu em julho de 2011, mas os fãs ainda aguardam os dois últimos, cuja data de publicação é desconhecida.

Quando J.K. Rowling vendeu os direitos de Harry Potter sua saga ainda não havia sido concluída, mas, ao contrário de Martin, a escritora britânica foi capaz de escrever o desenlace antes de vê-lo na tela, diz Nicolas Allard, autor de L’univers Impitoyable de Game Of Thrones (O universo implacável de Game of Thrones, em tradução livre).

Para esse professor de literatura francesa, o caso de Game of Thrones é um “fenômeno sem precedentes”.

É verdade que Martin, de 70 anos, forneceu algum tempo atrás os elementos necessários para que os criadores da série, David Benioff e Daniel Weiss, levassem o enredo até o fim. Mas nada garante que a série de sucesso global terminará como o escritor imaginou.

— Eu não li os roteiros — disse o autor, referindo-se à oitava e última temporada escrita por Benioff e Weiss e cuja difusão começa em 14 de abril.

— Eu sei algumas coisas, mas há muitos enredos relacionados a personagens secundários que eles imaginaram. E, é claro, eles me ultrapassaram em anos. Pode haver divergências importantes — disse ele.

Segundo os especialistas consultados pela AFP, o escritor não precisa escolher o caminho marcado pela televisão para os dois volumes que restam e, de fato, há muitas possibilidades caso ele escolha se distanciar.

Giro criativo

— Por contrato, tinha que comunicar o final e dar pistas sobre o que deveria acontecer. Mas cada um tem toda a liberdade de escolher um final diferente — disse Allard.

O fim da saga literária “deve ser diferente” da série, acredita Sarah Mesle, professora da Universidade do Sul da Califórnia (USC).

— Mesmo que Martin siga seu plano inicial, ele não pode ignorar como os telespectadores reagem a essa ou àquela virada, se gostam ou não dos personagens — explica. — Fazer grandes mudanças poderia permitir que recuperasse o controle sobre seu trabalho.

O escritor, que foi roteirista de televisão por um longo tempo, nem sempre ficou satisfeito com as decisões de Benioff e Weiss.

— Martin ficou, por exemplo, muito descontente com o fato de que, na sexta temporada, a origem dos caminhantes brancos foi revelada. Ele queria ser o primeiro a fazê-lo, em seus romances — diz Allard.

— Agora é um pouco como se considerasse que os livros e as séries de televisão fossem dois materiais artísticos diferentes. Não há falta de amor, mas há certa indiferença da parte dele — diz ele.

— Parece que ele espera que a série termine, por medo de sofrer uma comparação entre a série e seus livros — acrescenta o professor. Ao pensar assim, “a televisão se tornaria a referência em vez da obra literária original”.

Para Mesle, isso já aconteceu.

— Aconteça o que acontecer, se Martin terminar a série ou não, os romances vão se tornar uma adaptação da série de televisão, e nada pode ser feito sobre isso.

Apesar de tudo, George Martin continua determinado a concluir seu trabalho.

— É o fim para muitas pessoas, mas não é para mim — diz ele.