Nova adaptação do longa estreou na última quinta-feira no Brasil, tendo Lady Gaga e Bradley Cooper como protagonistas

Por GaúchaZH

A versão de Nasce um Estrela que chega aos cinemas nesta quinta-feira (11) é a quarta da história. A trama é basicamente a mesma desde sua estreia na década de 1930.

Uma jovem talentosa busca um lugar ao sol na indústria do entretenimento. Ao conhecer um sujeito já reconhecido nesse mundo, ela encontra a ajuda necessária para crescer. Enquanto ela ascende, a carreira dele começa a ruir.

Primeira versão

O primeiro lançamento foi em 1937, dirigido originalmente por William A. Wellman e roteirizado por ele em parceria com Robert Carson, Dorothy Parker e Alan Campbell.

A trama mostrava a história de Esther Blodgett (papel de Janet Gaynor), jovem que tem o sonho de ser atriz em Hollywood. Ajudada pelo astro Norman Maine (Fredric March), como quem se casa posteriormente, ela vê sua carreira decolar enquanto seu relacionamento entra em crise por causa disso.

Foi indicado a seis categorias do Oscar, incluindo o de melhor atriz – só venceu em fotografia e roteiro.

Segunda versão

Em 1954, o filme é relançado, agora como um musical estrelado por Judy Garland, que interpreta a nova Esther. Recebeu seis indicações ao Oscar, incluindo o de melhor atriz.

Terceira versão

Em 1976, a história é refilmada. Desta vez, cabe a Barbra Streisand viver a protagonista no longa dirigido por Frank Pierson. Embora considerado pelos críticos como a pior versão até então, o filme fez muito sucesso à época do lançamento. Nesta refilmagem, a Esther vivida por Barbra é uma cantora em início de carreira ajudada pelo astro do rock John (Kris Kristofferson).

Foi indicado a quatro categorias do Oscar, tendo vencido como melhor canção original, com a música Evergreen, de Barbra Streisand e Paul Williams. Ganhou o Globo de Ouro de filme musical ou comédia, melhor atriz, ator, trilha musical e canção original. Ainda faturou o Grammy de canção do ano, por Evergreen, em 1978.