A companhia pretende retirar todo seu catálogo da Netflix até 2019

Os adultos já se renderam aos serviços de streaming de conteúdo audiovisual – e o novo desafio de companhias como a Netflix e a Amazon Prime tem sido atrair também as crianças. A Disney, como grande produtora de conteúdo para este público, já se antecipou: a companhia anunciou nesta terça-feira que pretende retirar todo seu catálogo de outras plataformas e lançar seu próprio serviço de streaming até 2019. Além de todos os clássicos de seu vasto repertório, a Disney também planeja oferecer conteúdo exclusivo para a nova plataforma, especialmente voltado para as audiências mais jovens – exatamente como o canal de TV do estúdio vem fazendo desde 1983.

Um dos incentivos para a criação da “Netflix da Disney” é a própria queda na audiência do canal: o Disney Channel teve sua audiência diminuída em 28% nos Estados Unidos entre 2016 e 2017, de acordo com o site Quartz. Serviços de streaming também veem vantagens e atrativos nas audiências mais jovens: conforme o Los Angeles Times publicou, crianças “não se importam de ver o mesmo episódio de novo e de novo”, e são menos “apegadas a uma narrativa linear” – na TV tradicional, as crianças não podem escolher rever seu episódio ou cena favorita, por exemplo, enquanto, nos serviços de streaming, “elas estão no controle”, segundo Tara Sorensen, chefe do departamento de conteúdo infantil da Amazon Studios. Atualmente, 20% do conteúdo da Netflix, por exemplo, é voltado para crianças.

O serviço de streaming da Disney, porém, seria o primeiro com conteúdo exclusivamente voltado para os mais jovens – sem o risco de que uma criança navegando pelo menu acabe caindo em conteúdos impróprios para sua faixa etária. Além disso, a companhia tem um catálogo já reconhecido e respeitado – consumido inclusive por muitos adultos. Resta ver como os outros serviços de streaming vão reagir ao novo concorrente.