O filme, que estreou em 2013, se transformou em um clássico instantâneo da Disney

Frozen – Uma Aventura Congelante e sua música-tema, Let It Go, foram uma das maiores febres de 2013 – e o filme tornou-se um dos maiores sucessos da Disney, entrando imediatamente para a coleção de clássicos do estúdio. Mas a narrativa original do longa poderia ter sido bem diferente da que acabou chegando aos cinemas – quem revelou os detalhes foi Peter Del Vecho, produtor do filme, em entrevista à Entertainment Weekly.

frozen1

“Quando nós começamos, Anna e Elsa não eram irmãs. Elas não eram nem da realeza. Então Anna não era uma princesa”, contou Del Vecho. “Elsa era uma Rainha do Gelo auto-proclamada, uma vilã, e muito má – bem mais como o conto de Hans Christian Andersen. [que inspirou os primeiros esboços do filme] Nós começamos com uma vilã e uma heroína ingênua, e o final envolvia uma batalha épica com monstros que Elsa tinha criado como seu exército.” No plano inicial, Elsa teria sido abandonada no altar e congelado o próprio coração para nunca mais amar de novo, o que despertou sua maldade – e, de acordo com uma profecia que seria revelada no início da trama, um governante de coração gelado traria destruição ao reino de Arendelle. No final, uma reviravolta mostraria que a profecia não se referia a Elsa, e sim a Hans, o príncipe sem escrúpulos que faz de tudo para atingir seus objetos – e que tem, metaforicamente, um “coração de gelo”.

frozen2

“O problema foi que nós sentimos que já tínhamos visto isso antes. Não era satisfatório”, Del Vecho explicou. “Nós não tínhamos conexão emocional com Elsa. Nós não nos importávamos com ela, pois ela passou o filme inteiro sendo a vilã.” A partir daí foram surgindo outras ideias, como a de fazer com que as duas protagonistas fossem irmãs: “E se ela tiver medo de quem ela é? E medo de machucar as pessoas que ama? Nos tínhamos uma personagem, a Anna que era sobre o amor; e outra, Elsa, que era sobre o medo. Isso nos levou a transformar Elsa em uma personagem com mais dimensões, mais possível compreender; e, no lugar do tradicional tema do bem contra o mal, nós tínhamos um com o qual era mais fácil de se identificar: amor contra o medo, e a premissa do filme é que o amor é mais forte que o medo.”

Frozen arrecadou mais de US$ 1,2 bilhão nas bilheterias, sendo desbancado apenas por Moana, que estreou no final de 2016 nos Estados Unidos, e chegou ao Brasil no começo deste ano.