Agora, os dois prédios compõem uma só unidade museológica, com mais espaço destinado a exposições, além de adequações de acessibilidade e segurança

Por GaúchaZH

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Fechado desde 2016 para obras de restauração, o museu Victor Meirelles, em Florianópolis, teve suas obras concluídas, mas ainda não há prazo para reabertura.

O museu fica na casa onde o artista que dá nome ao espaço nasceu, um sobrado no centro da cidade construído em 1832. A casa traz características da arquitetura luso-brasileira e é tombada como patrimônio cultural.

Agora, os dois prédios compõem uma só unidade museológica, com mais espaço destinado a exposições e uma nova iluminação, além de adequações de acessibilidade e segurança. Com a conclusão das obras, todo o acervo do museu começa a ser transferido de volta para o museu.

Além das obras do pintor, que inclui uma coleção de estudos de trajes italianos, o visitante também pode conferir um acervo de arte contemporânea com trabalhos de Leonilson e do arquiteto Roberto Burle Marx.

A obra custou R$ 4,82 milhões em recursos do PAC Cidades Históricas, uma iniciativa do Ministério do Planejamento para atender às cidades que possuem bens tombados do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Pintor, desenhista e professor, Victor Meirelles de Lima (1832-1903), nasceu em Florianópolis. A sua principal obra, “Primeira Missa no Brasil”, contudo, pertence ao Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro.