Cantora morreu aos 48 anos após uma luta contra as drogas

Por GaúchaZH

Após o documentário Whitney: Can I Be Me, Whitney Houston deve começar a receber homenagens. Sete anos após a morte da artista, uma produtora prevê uma turnê em holograma, músicas inéditas e muito mais.

Desde que Whitney morreu, em 2012, nenhuma proposta feita à produtora Pat Houston, cunhada da artista, havia sido aceita. No entanto, a propriedade intelectual da cantora voltou aos negócios com toda a força, segundo reportagem do The New York Times.

Pat Houston é a única executora da propriedade intelectual da cantora. Os beneficiários são os irmãos de Whitney Houston, Gary e Michael, e a cantora gospel Cissy Houston, mãe da artista.

Um novo projeto em andamento prevê uma turnê com holograma da Whitney, um possível musical da Broadway, acordos de marca e um álbum de faixas inéditas.

— Tudo tem a ver com o tempo certo para mim — disse Pat Houston, em entrevista ao jornal americano. — Os últimos anos foram muito emotivos, mas agora é sobre ser estratégico.

Na semana passada, Pat assinou contrato com a Primary Wave Music Publishing, empresa de música e marketing de luxo em Nova York, para reconstruir os negócios da artista. Como parte do acordo, a Primary Wave adquirirá 50% dos ativos da propriedade intelectual da cantora, que incluem os royalties de música e cinema, merchandising e o direito de explorar seu nome e aparência.

O acordo é avaliado em US$ 14 milhões, de acordo com duas pessoas familiarizadas com o acordo.

Em seu auge, a diva chegou ao primeiro lugar com onze canções, vendeu dezenas de milhões de álbuns ao redor do mundo, e com a ajuda do filme O Guarda-Costas (1992), passou a fazer parte da elite de estrelas com igual sucesso na música e nos filmes. Com esse novo acordo, a ideia é fazer renascer todo esse prestígio da cantora.

Morta aos 48 anos após uma luta contra as drogas, a imagem de Whitney só piorou com histórias vindo à tona sobre sua infância de abusos e outros problemas pessoais.

— Antes de ela morrer, havia muita negatividade em torno de seu nome, já não era mais nada sobre a música — afirma Pat. — As pessoas esqueceram como ela era ótima. Deixaram todas as questões pessoais sobre a vida dela superarem tudo.

— Whitney era a namorada da América, e a ideia agora é lembrar as pessoas que esse é o legado dela — afirmou Larry Mestel, fundador da Primary Wave.

Mestel disse que já estava em discussões com produtores da Broadway sobre um espetáculo musical. As faixas não utilizadas de seu álbum de estreia em 1985, Whitney Houston, provavelmente farão parte de um novo disco.