O segmento enfrenta sua pior crise da última década

Por GaúchaZH

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O mercado editorial continua sua trajetória de retração, mostra o último levantamento da Nielsen, divulgado nesta quinta-feira (9). Em abril, o setor viu seu faturamento encolher 11% e teve uma queda no número de exemplares vendidos de 12% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Ao todo, foram vendidos cerca de 400 mil livros a menos em abril deste ano. Já a queda de receita foi de cerca de R$ 15 milhões. A retração no número de novos lançamentos foi de 2%.

A pesquisa mensal da Nielsen, feita sob encomenda do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, é o levantamento mais preciso sobre a situação do mercado, chega a esses números diretamente no caixa das livrarias, supermercados e lojas de ecommerce que monitora.

A queda se explica principalmente pela diminuição nas vendas de livros infantis, juvenis e didáticos, cuja participação na receita total do mercado encolheu quatro pontos percentuais

Na análise do primeiro trimestre de 2019, divulgada no mês passado, a Nielsen já havia apontado uma diminuição de 25% do faturamento, uma perda de R$ 46 milhões, na comparação com o mesmo período no ano passado.

O segmento enfrenta sua pior crise da última década, com as duas principais redes de livrarias, a Cultura e a Saraiva, em processos de recuperação judicial.

A recuperação judicial da Livraria Cultura já foi homologada pelaJustiça. O plano apresentado pela rede foi aprovado por ampla maioria dos credores.

No plano aprovado, os credores aceitaram a proposta de até 70% de desconto na dívida da empresa com cada um, com até 12 anos de prazo para pagamento, somado a uma carência de dois anos -mas esses números podem ser mais suaves de acordo com a categoria em que cada credor é encaixado pela Cultura. A situação do plano de recuperação da Saraiva ainda está em aberto.