Assunto ganhou urgência após o longa Roma ganhar vários prêmios na cerimônia deste ano

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas recebeu uma carta do Departamento de Justiça alertando a instituição sobre as consequências de mudar as regras para que filmes produzidos por e para serviços de streaming não concorram ao Oscar. O documento alega que essa alteração pode infringir leis que garantem uma competição justa pela estatueta.

O aviso chegou aproximadamente um mês após o diretor Steven Spielberg dar início a uma campanha “anti-streaming”, com o objetivo de evitar que tais produções sejam indicadas à premiação. Makan Delrahim, chefe do Departamento de Justiça, escreveu diretamente para Dawn Hudson, CEO da Academia, e alega que a decisão de impedir a participação desses filmes pode “suprimir a competição”.

A urgência do assunto vaio à tona após a cerimônia deste ano, na qual o cineasta mexicano Alfonso Cuarón e seu filme Roma, produzido e lançado pela Netflix, venceram nas categorias de Melhor Diretor, Filme Estrangeiro e Cinematografia.