A 91ª edição da cerimônia ocorrerá neste domingo (24), a partir das 22h (horário de Brasília)

Por GaúchaZH

Com algumas novidades entre seus participantes, a 91ª cerimônia do Oscar ocorrerá neste domingo (24), a partir das 22h (horário de Brasília), no Teatro Dolby, em Los Angeles. Na premiação deste ano, Roma e A Favorita são os filmes que concorrem em mais categorias –ambos em 10. Em seguida, vem Nasce Uma Estrela e Vice, com oito indicações cada.

O bem sucedido filme de herói da Marvel, Pantera Negra, foi sucesso de bilheteria em 2018 e foi reconhecido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (organizadora do Oscar) com sete indicações.

Com cinco indicações, Green Book – O Guia era apontado com um dos principais postulantes na categoria de Melhor Filme. No entanto, os realizadores da comédia dramática se envolveram em uma série de polêmicas: um tweet de Nick Vallelonga, roteirista do filme, em que criticava muçulmanos foi trazido à tona. Vários jornais publicaram que o diretor Peter Farrelly tinha o hábito de mostrar o pênis de brincadeira em 1998, no set de Quem Vai Ficar com Mary?, inclusive para a atriz Cameron Diaz. Já o protagonista Viggo Mortensen foi acusado de racismo por usar um termo ofensivo para se referir a um negro.

Quem também tem cinco indicações é Bohemian Rhapsody, cinebiografia da banda Queen. Rami Malek, que vive o vocalista Freddie Mercury no filme, está bem cotado para a categoria de Melhor Ator.

De qualquer maneira, entre os indicados da premiação deste ano, houve algumas quebras de paradigmas. Tem diretor renomado que concorre pela primeira vez, longa-metragem de super-herói e produção da Netflix na disputa de Melhor Filme, a primeira indígena indicada a Melhor Atriz, entre outras novidades. A seguir, veja o que há de novo no Oscar deste ano.

 

AS MARCAS DE ROMA

Dirigido por Alfonso Cuáron, Roma é a primeira produção da Netflix que concorre à categoria de Melhor Filme. O drama mexicano recebeu 10 indicações, sendo a produção estrangeira com mais nomeações na história do Oscar ao lado de O Tigre e o Dragão, que disputou a cerimônia de 2001.

Roma é o primeiro longa-metragem de língua espanhola indicado a Melhor Filme. Também é a décima produção de língua não-inglesa a disputar a categoria mais importante da premiação, conforme comunicado da Academia, embora algumas publicações internacionais apontem que Roma seja a 11ª, levando em conta Babel (2006), que concorreu em 2007 e possuía diferentes línguas – incluindo a inglesa.

Além de Roma, apenas outras quatro produções foram indicados a Melhor Filme e Melhor Filme Estrangeiro: Z (1969), A Vida é Bela (1998), Tigre e o Dragão (2000) e Amor (2012). Contudo, nenhum longa do quarteto venceu como Melhor Filme, mas todas faturaram a estatueta de Estrangeiro. Portanto, o drama de Cuarón poderá quebrar este tabu.

Em seu primeiro papel, Yalitza Aparicio, que vive Cleo em Roma, é a primeira indígena indicada a Melhor Atriz, além de ser a segunda mexicana – Salma Hayek concorreu em 2002 por Frida.

Roma pode aumentar o número de estatuetas do México: o país tem 24 Oscar, incluindo Diretor, Ator, Atriz e Documentário, e categorias técnicas como Fotografia, Direção de Arte, Montagem e Maquiagem. Porém, nunca venceu na categoria de Melhor Filme Estrangeiro.

 

INVASÃO ESTRANGEIRA

Indicado como produtor, diretor, roteirista e fotógrafo, Cuarón igualou o recorde de quatro indicações individuais em uma mesma edição do Oscar de Orson Welles, por Cidadão Kane (1942), Warren Beatty – por O Céu Pode Esperar (1978) e Reds (1981) –, Joel Coen e Ethan Coen, por Onde os Fracos Não Têm Vez (2007), e Alan Menken, por A Bela e a Fera (1991).

Além do mexicano, mais dois cineastas estrangeiros disputam a categoria de Melhor Diretor: o polonês Pawel Pawlikowski (Guerra Fria) e o grego Yorgos Lanthimos (A Favorita, co-produção entre Estados Unidos, Reino Unido e Irlanda).

 

Por conta de Roma e Guerra Fria, é a primeira vez em mais de três décadas que duas produções estrangeiras integram a categoria de Melhor Diretor. Também é a primeira vez que dois cineastas (Cuarón e Pawlikowski) que concorrem em Melhor Filme Estrangeiro também disputam como diretores. Ainda, é a primeira vez desde que a Academia eliminou a categoria preto e branco, em 1967, que dois filmes no formato são indicados em uma mesma categoria.

 

SUPER-HERÓI PIONEIRO

Segunda maior bilheteria mundial de 2018 e nona da história, com mais de US$ 1,3 bilhão arrecadado, Pantera Negra se sagrou como o primeiro filme de super-herói indicado na categoria de Melhor Filme. Quem fez parte dessa produção foi Hannah Beachler, primeira mulher negra a ser indicada à categoria de Direção de Arte. Hannah já colaborou com o diretor de Pantera Negra, Ryan Coogler, em Creed – Nascido para Lutar e trabalhou no premiado Moonlight: Sob a Luz do Luar e no clipe de Lemonade, da Beyoncé.

Também de Pantera Negra, a figurinista Ruth E. Carter pode se tornar a primeira mulher negra a vencer na categoria de Melhor Figurino. Ela já foi indicada anteriormente por Malcolm X (1992) e Amistad (1997). No entanto, ela tem a forte concorrência de Sandy Powell, que concorre por O Retorno de Mary Poppins e A Favorita, vencedora da estatueta em três ocasiões.

 

ESTREANTES

•Pela primeira vez, o renomado cineasta Spike Lee concorre nas categorias de Melhor Direção e Melhor
Filme por Infiltrado na Klan. No entanto, é apenas o sexto artista negro a ser indicado à corrida de Melhor Direção. Em 2006, ele ganhou um Oscar Honorário e na ocasião criticou a quantidade de negros concorrendo ao prêmio.

•Roteirista veterano Paul Schrader, que escreveu Taxi Driver e Touro Indomável, recebeu sua primeira indicação ao Oscar aos 72 anos por No Coração da Escuridão, na categoria de Roteiro Original.

•Peter Ramsey, responsável por Homem-Aranha: No Aranhaverso, é o primeiro diretor negro concorrendo na categoria de Melhor Animação

•Aos 74 anos, Sam Elliott (Nasce Uma Estrela) recebeu sua primeira indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Ator Coadjuvante.

•Além de Sam Elliott, outras atores e atrizes estreantes na premiação: Yalitza Aparicio, Olivia Colman, Marina de Tavira, Adam Driver, Richard E. Grant, Regina King e Rami Malek.

 

O QUE NÃO HÁ DE TÃO NOVO

•Entre os atores e atrizes concorrentes, há quem já recebeu sua estatueta: Mahershala Ali, Christian Bale, Sam Rockwell, Emma Stone e Rachel Weisz.

•Mahershala Ali pode se tornar o segundo negro na história da premiação com dois Oscar (o outro é Denzel Washington).

•Mesmo com o movimento #MeToo, nenhuma mulher foi indicada ao Oscar de direção. Na categoria de Filme Estrangeiro, Nadine Labaki concorre com Cafarnaum.

•Lady Gaga (Nasce uma Estrela) é a segunda cantora na história a garantir uma indicação como atriz e canção no mesmo ano. Ano passado, Mary J. Blige foi nomeada às categorias de Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Canção Original por Mudbound.

•Pode ser a chance de Glenn Close deslanchar: protagonista de A Esposa, ela é a atriz com maior número de indicações sem vitória – sete vezes.

 

O QUE SE SABE E SE ESPECULA SOBRE A CERIMÔNIA

•A princípio, não haverá apresentador. Inicialmente, a cerimônia seria conduzida pelo comediante Kevin Hart, mas ele foi retirado da apresentação após a descoberta de tweets ofensivos. A premiação não terá um apresentador. Será a primeira vez em 30 anos que isso acontece.

•Por outro lado, o jornal britânico The Guardian levantou a hipótese de que a atriz Whoopi Goldberg poderia apresentar a cerimônia.

•A Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, que promove o Oscar, recuou após a controversa decisão de excluir quatro categorias do prêmio da transmissão pela TV – elas seriam exibidas durante os intervalos comerciais. As categorias que seriam cortadas eram Fotografia, Montagem, Curta-Metragem e Maquiagem. A ideia era diminuir a duração da cerimônia para três horas.

•Com o recuo, a premiação volta ao formato tradicional – e aos mais de 180 minutos de duração.

•Outra decisão controversa da Academia, depois abandonada, foi a de incluir a categoria de Melhor Filme Popular.

•Composta por dois membros originais – o guitarrista Brian May e o baterista Roger Taylor –, o Queen se apresentará na cerimônia. No vocal, substituindo o astro Freddie Mercury, está o vocalista Adam Lambert.

•Segundo informações da Reuters, entre os nomes que devem subir ao palco da premiação estão Bette Midler, Jennifer Hudson, Jennifer Lopez, Daniel Craig, Chadwick Boseman, Tina Fey e Amy Poehler, Pharrell Williams e a tenista Serena Williams.

•De acordo com o The Sun, a atriz Barbra Streisand deve participar de uma esquete no palco juntamente com Lady Gaga. Barbra foi a protagonista na versão de Nasce Uma Estrela de 1976.

 

COMO VER

•A Globo TV irá iniciar a transmissão logo após o programa Big Brother Brasil 19, com alguns prêmios já entregues. A apresentação será de Maria Beltrão, com comentários do jornalista Artur Xexéo e da atriz Dira Paes.

•Pela TV paga, a TNT começa a exibir o tapete vermelho às 21h, com Carol Ribeiro e Hugo Gloss. A apresentação da cerimônia será de Bruna Thedy e os comentários de Michel Arouca.

•O canal pago E! inicia a transmissão do tapete vermelho a partir das 19h.

•Também será possível acompanhar a premiação ao vivo no próprio site do Oscar.

Confira aqui os indicados ao Oscar 2019