A exposição Sharing Forms fica em cartaz até maio na capital francesa

O Centro Georges Pompidou, em Paris, na França, recebe uma exposição em homenagem a Victor Vasarely (1906-1997), francês naturalizado húngaro e considerado “o pai da op art” – termo que designa a variação de arte abstrata que usa ilusões de óptica e a falibilidade da visão humana para mexer com os sentidos. Esta é a primeira grande mostra realizada na França dedicada a revisar a carreira do artista: são mais de 300 itens – entre pinturas, esculturas, trabalhos de arquitetura e publicidade, e até mesmo documentos – que exploram o mundo de Vasarely e procuram mostrar todas as facetas de sua prolífica criação. A exibição Sharing Forms foi organizada em parceria com o Städel Museum, de Frankfurt, e fica em cartaz até maio deste ano.

Victor Vasarely

Vasarely estudou artes plásticas em Budapeste e se mudou para Paris em 1930, trabalhando por muitos anos em agências de publicidade. Em 1939, criou a obra que muitos consideram o ponto de partida da op art: a pintura Zebra, duas zebras entremeadas que se formam a partir de suas listras e da perspectiva aplicada à imagem. Depois disso, foram duas décadas de pesquisa e trabalho em torno de abstrações geométricas coloridas, usando formas e cores diversas para criar ilusões visuais – algumas delas se tornaram clássicos do estilo. Suas pinturas e serigrafias foram se tornando cada vez mais refinadas, simulando cubos, alvos e esferas em paredes que pareciam ganhar volume, avançar ou recuar de acordo com suas perspectivas falsas.

Victor Vasarely

Victor Vasarely

Símbolo das artes dos anos 1960 e 1970, Vasarely era admirado pelo Presidente Georges Pompidou, exatamente o que batizou o centro cultural que agora recebe a mostra artística: o pintor chegou a fazer um retrato do político, formado por várias linhas verticais. Confira aqui o trailer da exposição.

Victor Vasarely