Cantor pop que morreu em 2009 foi denunciado por pedofilia e abuso sexual

Por GaúchaZH

Uma das advogadas mais famosas dos Estados Unidos, Gloria Allred falou mais uma vez sobre Michael Jackson. Ela foi aos tribunais, em 1993 e 2002, contra o cantor por denúncias de pedofilia e abuso sexual. O astro considerado o rei do pop faleceu em 25 de junho de 2009, em Los Angeles.

Em entrevista ao TMZ, Gloria disse que Michael tinha o “comportamento de um predador sexual e um pedófilo”:

— Há várias acusações sérias sobre pedofilia contra Michael Jackson, e ele pagou milhões de dólares em acordos [judiciais]. E isso tem que fazer parte do seu legado, além da música. Quem ele molestou ninguém sabe, mas eu acredito que ele era um predador sexual.

Ela foi responsável por duas ações contra o artista. Em 1993, representou o jovem Jordan Chandler, que acusou o artista por abuso sexual e conseguiu um acordo final de US$ 20 milhões em indenização.

Nove anos depois, em 2002, a advogada escreveu uma carta para as autoridades dos Estados Unidos pedindo para que o artista fosse investigado, incentivada pelo episódio em que o cantor mostrou seu filho na varanda do quarto andar de um hotel em Berlim de forma perigosa.