O argentino Richard Scofano e o uruguaio Alfredo Minetti têm um repertório baseado no tango e no chamamé

O duo instrumental Scofano&Minetti chega ao Brasil para mostrar o melhor do tango e do chamamé, ritmo tradicional argentino que aparece com uma roupagem mais clássica e bem original. É a primeira turnê da dupla pelo Brasil – e, em Floripa, serão apresentados dois shows, com abordagens diferentes: Tango no Porão, com uma proposta mais intimista, e Estaciones, para teatro.

Scofano&Minetti

O duo foi criado em 2013, quando o argentino Richard Scofano e o uruguaio Alfredo Minetti se conheceram nos Estados Unidos, onde vivem até hoje. O encontro aconteceu em Chicago, em 2013, durante um festival de verão, no famoso Millenium Park, onde os músicos participavam tocando seus respectivos instrumentos: Scofano, o bandoneón; Minetti, o piano. No repertório dos shows, tangos argentinos de Piazzolla, além de composições próprias, com ênfase no novo chamamé, com harmonizações e formas diferentes do estilo tradicional. Saiba mais sobre os artistas:

Richard Scofano – Richard é filho e neto de bandoneonistas. Seu pai, Ricardo Scofano, é um dos nomes de maior expressão na tradição do chamamé correntino (de Corrientes, no nordeste argentino, região conhecida como o “Litoral”). Como influências musicais, além do pai, Richard destaca Ernesto Montiel, Alberto Ginastera, Astor Piazzolla, J.S. Bach, F. Chopin, C. Debussy, P. Tchaikovsky e Tom Jobim. O músico se mudou para os Estados Unidos em 2000, primeiro para Miami, com a família. Pensou em ir primeiro à França, mas, depois de tocar em um evento de música argentina e de travar conhecimento com músicos dos Estados Unidos, se fixou em Miami, local onde ficou por alguns anos, antes de se mudar para Chicago.

Alfredo Minetti – Alfredo é neto de italianos, e a ópera sempre esteve muito presente em sua casa. Cresceu ouvindo, além da ópera, muita música clássica. Veio para o Brasil aos seis anos de idade. A paixão pela música clássica o levou a estudar piano, mas seu maior interesse sempre foi a comunicação musical – a conexão físico-emocional profunda criada com seus ouvintes durante as performances. Suas maiores influências são F. Chopin, Paquera de Jerez, Maria João Pires, Jacques Brel, Elis Regina, Ondine de Mello e Federico Garcia Lorca. Alfredo se mudou para Bloomington, no estado de Indiana, em 1998 para fazer doutorado em Antropologia Cultural (com ênfase no estudo da música). Concluiu seus estudos em 2006 e ficou no país, ensinando em universidades e fazendo música.

As apresentações da dupla no Delfino 146 acontecem nos dias 13 e 13 de julho, quinta e sexta-feira. Já no Teatro Pedro Ivo, o espetáculo está marcado para o dia 20 de julho, sábado.