O preconceito da sociedade dos séculos XIX e início do XX fazia com que muitas escritoras escondessem suas verdadeiras identidades

Um novo projeto, batizado OriginalWriters, quer dar os devidos créditos às autoras de diversas obras literárias, que publicaram seus trabalhos sob pseudônimos masculinos. Vários escritores dos séculos XIX e início do século XX eram, na verdade, escritoras: Mary Ann Evans, por exemplo, que escrevia sob o nome ‘George Eliot’, ou Amantine Dupin, que assinava como ‘George Sand’. O recurso servia para proteger as mulheres do preconceito da sociedade em relação a mulheres que desenvolviam atividades intelectuais – um livro publicado por uma autora mulher possivelmente sequer venderia bem, uma vez que pouca gente levaria seu conteúdo a sério. Mesmo escritoras hoje conhecidas mundialmente, como Jane Austen, preferiram divulgar seus livros de forma anônima: a capa de seu primeiro romance, Orgulho e Preconceito, informava apenas que a história havia sido escrita “por uma dama.” As irmãs Emily e Charlotte Brontë (que escreveram, respectivamente, O Morro dos Ventos Uivantes e Jane Eyre) também usaram pseudônimos.

OriginalWriters

Agora, a empresa HP e uma agência de publicidade se uniram para criar o projeto OriginalWriters, que cria novas capas para as obras destas escritoras, agora com seus nomes verdadeiros. As obras foram extraídas do Gutenberg Project, projeto que oferece gratuitamente mais de 50 mil obras que já estão em domínio público. O OriginalWriters ainda prevê a tradução das obras das autoras para o português, além da busca por brasileiras que também tenham publicado sob pseudônimos em séculos passados – como Maria Firmina dos Reis, autora do romance Úrsula (1859).

OriginalWriters

OriginalWriters

Além de chamar atenção pars os casos específicos destas escritoras, o OriginalWriters ainda alerta para o fato de que o fenômeno não está totalmente extinto nos dias de hoje: a autora de Harry Potter, Joanne Rowling, já revelou que foi incentivada por seus editores a assinar a saga como ‘J.K. Rowling’ para que seus primeiros livros fossem mais bem aceitos e mais lidos também por meninos.

As informações são da BBC – saiba mais aqui; e confira o projeto e todas as capas aqui.