No repertório do trabalho estão grandes hits, como Mona Lisa e Smile

Gregory Porter / Divulgação

Gregory Porter é um dos poucos artistas que ainda dominam os indiomas sonoros vintage da música negra norte-americana, como gospel, work songs, blues e jazz. Ele aproveitou para falar sobre o trabalho que está lançando chamado Nat “King” Cole & Me. Pelo título, já fica claro que se trata de um tributo ao lendário Crooner, que morreu em 1965. “A voz de Nat sempre esteve presente em minha vida, a música dele me inspirou de muitas formas, especialmente quando escrevo minhas próprias canções. Nat cantava com honestidade e emoção. Escolhia o que gravava com muito bom gosto. Pautou a minha conduta artística.”

No repertório do trabalho estão grandes hits, como Mona Lisa e Smile, mas Porter conta que decidiu ficar longe de uma coleção de sucessos óbvios. “Nat King Cole preencheu um buraco na minha infância, quando meu pai não estava presente. Suas músicas soavam como conselhos, lições de vida”, contou ele.