Com extensa programação, o evento, realizado no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, vai até o próximo domingo

O 21º Florianópolis Audiovisual Mercosul – FAM 2017 começa amanhã, dia 20 de junho, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, e vai até domingo, dia 25, firmando o papel de aproximar público, profissionais, filmes e mercado – completando assim o ciclo do setor audiovisual. Durante o evento, serão discutidas ações direcionadas para etapas do desenvolvimento profissional, evolução do produto fílmico e a própria função formadora do festival, tanto para público em geral, de forma contínua, quanto para crianças – por meio da Mostra Infantojuvenil – e estudantes de cinema, com o 1º Rally Universitário Floripa. Também serão realizadas atividades de aperfeiçoamento técnico e criativo, com palestras e oficinas.

fam

O FAM registrou recorde de inscritos em 2017: foram 710 filmes, número 30% superior ao ano anterior, dos quais foram selecionados 45 filmes de 10 países – Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Espanha, Paraguai, Peru, Porto Rico e Uruguai – para as cinco mostras competitivas, uma a mais que em 2016. Os filmes concorrem a mais de R$ 100 mil em prêmios dos apoiadores, além da disputa do Prêmio Aquisição Canal Brasil no valor de R$ 15 mil. Neste ano, a Mostra competitiva do FAM conta com uma categoria a mais: além da Mostra Doc-FAM, Curtas Mercosul, Curtas Catarinense e Infantojuvenil, a novidade é a Mostra de Videoclipes. Oito produções serão exibidas, das quais quatro são do Brasil, três da Argentina (uma das quais em parceria com Porto Rico) e uma da Colômbia. Das brasileiras, duas foram realizadas em Florianópolis.

Selecionados entre 123 documentários inscritos, seis filmes fazem parte da Mostra DOC-FAM deste ano, sendo duas estreias, com destaque para temas políticos do Brasil e da América Latina. As estreias são Artigas, Um Caminho, de Elaine Tavares; e Abrindo o Armário, de Dario Menezes e Luis Abramo. Exibidos pela primeira vez em Florianópolis, Guarnieri, dirigido por Francisco Guarnieri, Manos Unidas, de Roly Santos, Precisamos Falar do Assédio, de Paula Sacchetta e O Som dos Sinos, de Marina Thomé e Marcia Mansur. Oito produções brasileiras estarão na Mostra Infantojuvenil do FAM 2017, que acontece entre os dias 21 e 23 de junho, em duas sessões – uma pela manhã, às 9h, e outra à tarde, às 14h; e no domingo, dia 25, às 10h30. Serão dois programas, um para crianças até 10 anos e outro para até 12 anos. No ano passado, mais de 4 mil estudantes de 57 instituições vieram para as sessões. Pelo terceiro ano consecutivo, acontece também a sessão especial no Hospital Infantil Joana de Gusmão. Está programada para o dia 20, às 14h. As sessões de quarta às 14h, quinta às 9h e sexta às 14h terão recurso de acessibilidade com legenda para surdos e ensurdecidos – LSE.

Quinze filmes de cinco países participam da Mostra Curtas Mercosul, a mais concorrida do 21º Florianópolis Audiovisual Mercosul, com um total de 469 inscrições. São nove produções brasileiras, três argentinas (uma delas, em coprodução com a Espanha, filme que vem do convênio com o Festival Argentino Oberá en Cortos), uma uruguaia, uma paraguaia e uma colombiana. Sete filmes concorrem na Mostra Curtas Catarinense, que também terá uma produção convidada, Do que te lembras, Maria?, de Mara Salla, que estreia no FAM. Cinco5, de Camila Arriaga Torres, o documentário Larfiagem, de Gabi Bresola. Realizado em São José Cerrito, Verada de Rio, de Leonardo Lima da Silva. Os representantes de Florianópolis são os fimes: o documentário Ilha do Carvão, de Fábio Brüggemann, o experimental Espaços Móveis Ruídos, de Bianca Scliar, e as ficções Natália, de Stanley Costa e O Prometido, de Rodrigo Araujo e Thiago Soares. De quarta, 22, a domingo, 25, sempre ao meio dia, os dois filmes com a melhor resposta do público da noite anterior das Mostras Curtas Mercosul e Curtas Catarinense serão exibidos na Sala Goiabeira.

Seis filmes integram a Mostra de Longas Mercosul, que tem início sempre às 21h. Na noite de abertura do FAM 2017, na terça-feira, dia 20, a estreia de Anuaê, documentário do diretor catarinense Zeca Pires. Na quarta, 21, o FAM recebe a pré-estreia nacional da ficção Mulher do Pai, de Cristiane Oliveira. No dia 22 será exibido o filme Corralón, do argentino Eduardo Pinto. A Passageira, dirigido pelo ator peruano Salvador del Solar, será exibido no dia 23. Oscuro Animal, primeiro longa do diretor colombiano Felipe Guerrero, será exibido no sábado, dia 24. Para encerrar o FAM 2017 a comédia Las Toninas Van al Este, de Verónica Perrotta e Gonzalo Delgado. O FAM 2017 também possui uma agenda ampla e específica para o Fórum Audiovisual Mercosul: fazem parte Oficinas, Palestras, Encontros, Painéis, Lançamento de Livro e, pela primeira vez, o Rally Universitário Floripa. A programação conta com cinco Painéis que vão discutir temas contínuos do setor, quatro palestras, além de oficinas.

Pela primeira vez o FAM vai realizar o Rally Universitário Floripa – serão 25 estudantes, divididos em cinco grupos, com uma missão: produzir um curta-metragem de três a cinco minutos de duração em até 100 horas contínuas de produção. O objetivo é incentivar e promover a atividade de produção cinematográfica e o intercâmbio de conhecimento. Universitários do Brasil, Argentina, Bolívia, Colômbia participam deste 1º Rally Universitário, numa parceria entre o Florianópolis Audiovisual Mercosul e o Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina – MIS-SC. Os participantes terão cinco sessões concentradas nas áreas-chave para produzir um filme: Roteiro/Direção, Finalização, Produção, Direção de Fotografia e Som. Essas oficinas terão 25 vagas abertas para o público, e será necessário fazer a inscrição. A programação do FAM inclui também o lançamento do livro Iluminuras: pequenos ensaios sobre cinema e audiovisual, de Ricardo Weschenfelder, no sábado, dia 24, às 18h, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Montado artesanalmente em tipografia, clichês e ilustrações, é uma publicação do Selo Patifaria, Corrupiola Experiências Manuais e Editora Caseira. Segundo livro de Weschenfelder, traz ensaios sobre temas relacionados ao universo e a cultura do cinema.

O FAM 2017 não é apenas cinema e discussão sobre os rumos do audiovisual no âmbito do Mercosul: também é música de qualidade, como acontece todos os anos no saguão do Centro de Cultural e Eventos da UFSC. Nesta 21ª edição, acontecem apresentações do grupo de chorinho Vai como der, do blues rock da banda Mustache Maia Trio e de Fábio Franchini e banda, do samba rock de Bruno Mello e Ubrother, a MPB do Marcondes Trio e do reggae de Rô Conceição. O desafio lançado no FAM em 2015 de colorir a criatividade e imaginação das crianças e adolescentes do Hospital Infantil Joana de Gusmão também permanece neste ano: durante os seis dias de Festival, o público que passar pelo Centro de Cultura e Eventos da UFSC pode doar lápis de cor, giz de cera, massinha de modelar, livros infantis e livros para colorir que serão enviados ao Hospital Infantil Joana De Gusmão.

Saiba mais no site oficial do evento.