O vídeo é a primeira parte do documentário I’ve Nothing But My Name

Saiu a primeira parte de I’ve Nothing But My Name, novo documentário sobre Iggy Pop produzido pela Rough Trade Records: no vídeo, em entrevista a Thurston Moore, ex-Sonic Youth, o veterano fala sobre seu álbum mais recente, trabalhos jamais divulgados e parceiros sexuais – tudo com sua franqueza habitual.

iggy pop

Pop revela a inspiração por trás de Gardenia, sua faixa favorita no disco Post Pop Depression: uma mulher que chamou sua atenção em uma noite de San Francisco. O assunto puxa o próximo: uma série de escritos, jamais publicados, sobre antigos parceiros sexuais do músico – Pop conta que boa parte deles foi escrito nos anos 1990, em um período “sexualmente seco”. Outro tópico foi a fase psicodélica do início do The Stooges, e sobre como o artista se demitiu da posição de principal instrumentista da banda ao perceber que não sabia tocar tão bem quanto Ron e Scott Asheton – Pop brinca que o grupo “mal conseguia tocar Johnny B. Goode“. O momento mais curioso do vídeo, porém, é quando o músico conta sobre a fase em que teve a ideia de tocar com um aspirador de pó no palco – teoricamente, para combinar com os riffs de guitarra de Ron Asheton. “Eu tive a ideia de que poderia fazer o som do vento soprando”, explica. “Mais tarde, quando começamos a fazer shows, eu ganhei algum dinheiro e comprei um compressor de ar, que é muito melhor. Eu fiquei profissional!”

Veja o vídeo abaixo: