A banda Postmodern Jukebox é um típico fenômeno das novas mídias. Tornou-se uma sensação mundial, graças aos seus extravagantes vídeos virais que contam com o saboroso ‘swing vintage’ do grupo. Entre as produções mais recentes estão: a estreia da cantora natural da Flórida, Michaela Paige – inspirada em Otis Redding, no remake ‘soul retrô’ para o sucesso de 2012 do Neon Trees, “Everybody Talks” – e o trio Joey, Adanna e Nina Ann na recriação de “Feel It Still”, sucesso do Portugal The Man.

O coletivo musical, com 23 álbuns lançados e mais um EP, foi fundado pelo arranjador e pianista norte-americano Scott Bradlee em 2011. Quando adolescente, Bradlee desenvolveu alguns truques como músico, ele estudava ‘Jazz Piano’ na época. Segundo ele, seus amigos gostavam de todo tipo de música desde que não fosse jazz. Então, o desafio era surpreender a todos e mostrar que estas mesmas músicas ficariam incríveis também, se reimaginadas.

Bradlee levou essa fórmula para o YouTube e criou um fenômeno artístico. Isso não só foi possível graças a ele como fundador e arranjador, mas também pelos talentosos vocalistas ​​da vasta lista de colaboradores do grupo. Esta jornada começou uma década atrás e só depois de Scott iniciar sua carreira como pianista de jazz na cidade de Nova York.

 

Nos palcos, o sucesso se repete. A ‘PMJ’, como é chamada, faz um show perfeito para um tipo de público que pode ser de qualquer lugar, e normalmente está procurando algo familiar e cativante.

“Eu queria pegar uma música moderna e reformulá-la sob uma nova luz, imaginando que ela foi gravada em algum lugar no tempo, algo que eu chamo de a ‘Era de Ouro do Vinil’, entre os anos de 1920 e 1970”, disse Bradlee.

 

Antes de surgir a ideia, Scott estava pronto para mudar para outra carreira e fazer algo diferente, porque as coisas não estavam funcionando como queria. Por capricho, gravou um vídeo no YouTube. “Foi uma mistura de alguns sucessos dos anos de 1980. Eu fiz o upload no YouTube e, no dia seguinte, recebi 10.000 visualizações e se tornou viral. Depois de uma semana, foram 60.000 visualizações”, afirmou Scott.

A coisa avançou ainda mais através de uma figura improvável: o personagem “Sad Clown With The Golden Voice”, de Puddles Pity Party. Bradlee fazia a direção musical para o show “Sleep No More”, em Nova York, e foi convencido pelos produtores do programa a gravar um vídeo com Puddles, que trabalhava como parte do elenco.

O vídeo “Royals”, releitura do sucesso de Lorde, com o palhaço Puddles ultrapassou 26 milhões de visualizações. No total, o Postmodern Jukebox acumulou mais de 1 bilhão de visualizações no YouTube com 3,6 milhões de inscritos em seu canal oficial.

 

 
Vídeos e foto – divulgação.