Além da turnê que comemora 40 anos anunciada esta semana, a banda norte-americana de rock e new wave, formada originalmente em 1976, em Athens, por Kate Pierson (vocais), Cindy Wilson (vocais), Fred Schneider (vocais), o falecido Ricky Wilson (guitarra) e Keith Strickland (bateria), agora prepara um livro biográfico e um documentário.

Os B-52s, em nova formação, vão voltar aos palcos para celebrar seu 40º aniversário. Na verdade este ano o grupo faz 43 anos de carreira e já comemoraram os 40 anos com diversos shows. Mas se eles querem continuar celebrando seu legado, quem vai se opor? Os fãs fazem a festa pela web e lotam os espetáculos, uma prova de que a banda deve e pode permanecer em cena. Depois de iniciar a turnê nos EUA em maio, eles partem para a Europa em junho e julho. Em seguida retornam à América do Norte em agosto para uma série de shows até o final de setembro.

Junto com o anúncio turnê, a banda revelou duas surpresas. A ‘Da Capo Press’ e a ‘Hachette Books’ se juntaram para publicar uma biografia autorizada do grupo, prevista para sair em 2020. E um novo documentário dirigido por Craig Johnson e produzido por Fred Armisen também está em andamento.

 

No início dos anos de 1980, penteados imensos, figurinos psicodélicos e música dançante puseram na vanguarda do pop a banda americana B-52s. O nome do grupo é uma gíria do sul dos Estados Unidos para os penteados bufantes, em forma de colméia, que as vocalistas usavam no começo da carreira.

Em 1985, os músicos participaram, com grande sucesso, do festival brasileiro ‘Rock In Rio’, no Rio de Janeiro. Foi seu maior público. O show marcou a última aparição pública do irmão de Cindy, Ricky Wilson (guitarrista), com a banda. Ele faleceu em 12 de outubro daquele ano, vítima de um câncer linfático, causado pela AIDS. Depois dessa visita ao Brasil, onde eles beberam da fonte da Bossa Nova, o grupo gravou o single: “Girl From Ipanema Goes To Greenland”.

“Quisemos levar a ‘Garota De Ipanema’ para um lugar totalmente diferente, para ela se conhecer melhor”, brincou Cindy Wilson em comunicado. A faixa e o disco, “Bouncing off the Satellites” (1986), não chegaram às paradas pois a banda estava muito abalada com a perda recente e a ‘pressão’ da gravadora em relação aos prazos de entrega do álbum não permitiu ao grupo o tempo necessário para superar o luto.

 

O B-52s nasceu no estado americano da Geórgia, onde o blues é o ritmo típico da região. O gênero surgiu escondidinho no estilo único criado pela banda. “Nossa música tem muita influencia do R&B. Dá para perceber isso na batida da música ‘Private Idaho’, por exemplo. Se você diminuir a velocidade da música, vai perceber que se trata de um blues, mas é claro que nós fizemos uma versão em ritmo mais rápido, ritmo punk”, revelou Kate Pierson.

Para quem esteve em um show do grupo ou viveu a década de 1980 atento a novidades e boa música, os rótulos ou estilos não significam nada. O fato é que o B-52s continua divertindo muita gente, de diferente gerações, e vai provar isso mais uma vez este ano.

 

 
Vídeos e fotos – divulgação.