O primeiro trabalho solo de Nana Caymmi em nove anos, sucessor do álbum “Sem Poupar Coração” (2009), está confirmado para o segundo semestre deste ano. A cantora carioca, aos 77 anos, está finalizando o tributo ao cantor, compositor e pianista paulista Tito Madi – projeto que já vinha sendo planejado desde 2017 pelo produtor José Milton, parceiro de longa data de Nana.

Com arranjos assinados pelo irmão Dori Caymmi e Cristóvão Bastos, o álbum vai chegar como uma homenagem à obra de Tito Madi, que faleceu aos 89 anos no Rio de Janeiro, em decorrência de uma pneumonia, em setembro deste ano.

Suas canções já foram gravadas por artistas como Maria Bethânia (“Cansei de Ilusões”), Wilson Simonal (“Balanço Zona Sul”) e a própria Nana Caymmi (“Não Diga Não”) no disco de 1983, “Voz e Suor”, em companhia do pianista e arranjador Cesar Camargo Mariano.

 

Artistas de outros países também já gravaram Madi. O sucesso “Chove Lá Fora”, por exemplo, foi traduzido para o inglês e ganhou registro com o grupo vocal The Platters, como “It’s Raining Outside”, em 1958.

Além deste lançamento, outro trabalho já está em andamento: um segundo disco com o cancioneiro de Tom Jobim. Sobre o projeto dedicado à Tom ao lado do irmão Dori, Nana não tem ideia de quando será feito: “Nem sei se sai antes ou depois desse meu. Mas sabe como é, a gente vai ficando velha, e quer acelerar as coisas”, disse a cantora em recente entrevista ao Jornal do Brasil.

O tributo a Tito Madi é o primeiro álbum de Nana pelo selo Biscoito Fino, gravadora que lançou em 2010 um DVD com o registro da participação da cantora no lendário programa ‘Ensaio’ e, em 2013, o documentário “Rio Sonata”, filmado pelo diretor suíço Georges Gachot com foco em Nana Caymmi.

 

 
Vídeo e foto – divulgação.