Aos 81 anos de idade, o maestro e compositor Philip Glass está retornando à música de David Bowie 22 anos depois de sua última composição baseada no trabalho do cantor. Sua 12ª sinfonia, e a terceira baseada no trabalho de Bowie, terá estreia européia em Londres, no Southbank Centre em maio de 2019.

A ‘Orquestra Contemporânea de Londres’ e o organista James McVinnie realizarão a sinfonia “Lodger” (13º álbum de Bowie), uma obra em que Glass havia discutido com Bowie antes de sua morte, mas que só agora foi realizada. Glass completou as três sinfonias que escreveu ao longo de mais de 20 anos a partir de três álbuns que David Bowie compôs, em colaboração com Brian Eno, depois de ter estado em Berlim : “Low”, “Heroes” (ambos de 1977) e finalmente “Lodger”.

Os dois músicos foram amigos e admiradores mútuos por muitos anos. Em uma declaração nesta semana, Glass disse : “Nas últimas duas décadas, eu esperava encontrar uma oportunidade para completar a trilogia de sinfonias. Agora estou feliz por ter essa chance de apresentar a sinfonia de ‘Lodger’, e igualmente deliciado que ela seja ouvida em Londres, no Southbank Centre”.

David Bowie morreu em Janeiro de 2016 e, meses depois, a composição de Glass, inspirada em ‘Heroes’, foi a primeira obra sinfônica a ser interpretada no festival de Glastonbury, no Reino Unido.

O compositor americano esteve no Brasil em 2017, comemorando seus 80 anos. Ele se apresentou na Sala São Paulo e no Parque Ibirapuera, onde reuniu mais de 20 mil pessoas ao ar livre. Glass é um músico que está entre o clássico e o popular. Desde os anos 1970, ele tem se dedicado a uma variedade de gêneros, escrevendo óperas, sinfonias, quartetos, trilhas para cinema ou balé, além de atuar ao lado de artistas de outras áreas, como a escritora Doris Lessing e o poeta Allen Ginsberg.

 

 
Vídeo e fotos – divulgação.