Fatoumata Diawara estabeleceu sua reputação como uma das melhores e mais inventivas artistas do Mali, com a força do álbum de estréia, “Fatou“, gravado há sete anos. Na música, além de cantora, ela é compositora e guitarrista, mas também é uma conhecida ativista, defensora dos direitos das mulheres e outras causas de justiça social. Como atriz, apareceu em doze longas-metragens, incluindo o indicado ao Oscar, “Timbuktu”. A artista já esteve envolvida em uma variedade de projetos, incluindo colaborações com o pianista cubano Roberto Fonseca e com os companheiros do Mali – Amadou & Mariam e Oumou Sangaré. E agora, finalmente, vem o segundo álbum solo.

Intitulado “Fenfo” – que significa “algo a dizer” – o novo trabalho traz a cantora, natural da Costa do Marfim, explorando uma variedade de elementos, cercada por uma banda habilidosa que inclui seu filho Sidiki, juntamente com o astro francês Matthieu Chedid e o notável violoncelista Vincent Ségal.

Reconhecida como uma das expoentes da música africana moderna, Fatoumata Diawara é a porta-voz de um continente em transformação. Na bagagem musical ela constrói pontes entre a música africana e ocidental ao trazer para este trabalho as experiências que adquiriu em colaborações com grandes nomes da música como : Herbie Hancock, Damon Albarn e Hindi Zarah.

Audacioso, mas fiel às raízes de Fatoumata, o álbum “Fenfo” não tem fronteiras. Gravado entre o Mali, Burkina Faso, Barcelona e Paris, o trabalho é produzido pela própria Fatoumata e os parceiros Matthieu Chedid e Pierre Juarez, misturando modernidade e tradição.

Em “Fenfo”, a voz é mais emotiva e expressiva do que no primeiro disco. A sonoridade vai desde o afro-pop cool e melódico até a suave influência do blues e do funk. O sedutor single ‘Nterini’, (que significa “meu amor, meu confidente”), conta a história de um imigrante e evoca a tristeza sentida por dois amantes separados pela distância.

O videoclipe foi filmado no deserto de Danakil, na Etiópia. A produção de Aïda Muluneh é inspirada pela estética afro-futurista, bem como elementos visuais emprestados dos Dogons, um grupo étnico maliano.

 

Em tempo : Fatoumata Diawara já é conhecida dos ouvintes mais atentos da itapema. No incrível álbum de estreia da cantora caribenha FM Laeti, “It Will All Come Around“, ela aparece como convidada especial na faixa “Coco”, gravada em 2012.

 

 
Vídeos e fotos – divulgação.