Ela já fez o Brasil cantar e se emocionar com sua obra, já se apropriou de canções de outros artistas para homenagear os cantores e compositores favoritos, convidou todo mundo pra sambar e até encenou no teatro os cantos/falados de Luiz Tatit, do Grupo Rumo. Agora, Zélia Duncan, muito bem acompanhada pelo violoncelo do músico e arranjador Jaques Morelenbaum, está lançando “Invento +”, um álbum todo dedicado a arte de Milton Nascimento.

Zélia afirma que Milton é um dos grandes nomes que a fizeram querer cantar. Já Morelenbaum disse que a musicalidade do ‘bituca’ foi a primeira ponte a desenvolver nele o que mais tarde resultou nas colaborações com outros mestres.

O nome de Milton, surgiu naturalmente quando Zélia recebeu o convite do produtor André Midani para participar da série de shows “Inusitado”, quando a ideia nasceu — e foi realizada pela primeira vez — em 2015. Zélia e Jaques já estavam próximos na época, durante a turnê do Prêmio da Música Brasileira.

Em “Invento +” (Biscoito Fino) o repertório não se restringe a composições de Milton Nascimento – o trabalho traz também músicas de outros autores apropriados por ele, como : “Calix Bento” (Tavinho Moura), “Mistérios” (Joyce/ Mauricio Maestro), “O Que Será” (Chico Buarque) e “Beijo Partido” (Toninho Horta).

 

 
Video e fotos – divulgação