Desde que surgiu, no final dos anos 1990, a cantora de jazz americana Stacey Kent, já vendeu mais de dois milhões de álbuns e conquistou o mundo com releituras sofisticadas de standards como : “Ces Petits Riens”, “How Insensitive” e “More Than You Know”. Seu estilo elegante e sutil muito inspirado por Julie London, alcançou a aclamação da crítica e do público em “Tenderly” (2015), mais recente álbum lançado, gravado com a ajuda de seu marido, o saxofonista-flautista Inglês Jim Tomlinson, e um dos criadores da Bossa Nova, Roberto Menescal. Stacey Kent está em turnê e anuncia um novo projeto orquestral para outubro.

O trabalho anterior, “Tenderly”, cinco estrelas pela publicação do The Guardian e quatro estrelas pela Downbeat, é um daqueles discos tranquilos e tremendamente prazerosos de se ouvir. Menescal, com a experiência de meio século acompanhando cantoras e o talento natural, é cúmplice desse clima. E Stacey, é Stacey. Sua voz pequena é sempre elegante e suas intervenções em canções que o mundo já cantou, sempre trazem algo original.

No novíssimo “I Know I Dream”, Stacey mistura bossa nova, canções francesas, clássicos da música americana, bem como composições originais escritas por seu marido, o saxofonista Jim Tomlinson, cujas letras foram co-assinadas pelo famoso escritor Kazuo Ishiguro. Apoiada pela orquestra “Symphonique Confluences”, dirigida por Philippe Fournier, Stacey Kent traz um repertório orquestral rearranjado por Tommy Laurence.

O primeiro single, liberado esse mês, “Les Amours Perdues”, chegou junto com o anúncio de que o álbum “I Know I Dream” estará livre para pré-encomenda a partir do dia 21 de outubro no site oficial da cantora.

 

 
Video e Fotos – divulgação